Matérias

Calça flare: desvende todos os truques e dicas para usar a peça hit da estação

04.06.2015, 11h55 Por daquidali 775 Comentários

Versatilidade é uma das maiores qualidades da calça flare: além de casar bem com diversas situações, seu corte favorece todos os tipos de silhueta e altura. Até uma peça curinga como essa, no entanto, pede alguns truques de expert para te deixar ainda mais elegante.DESCUBRA TODOS!

Criada nos fabulosos anos 70, ela se mantém, em alta até hoje. “Pode-se dizer que a flare voltou, mas na verdade ela sequer desapareceu, só esta mais visível, porque a moda tem vindo com muita inspiração setentista”, diz a CONSULTORA DE MODA E ESTILO ANA VAZ.

Versátil, a peça pode ser usada para mulheres de todas as idades. Lidia Brondi por Wiliam Oda,  Bianca Castanho por Wallace Barbosa e Fernanda Souza por Daniel Delmiro

VERSÁTIL, A PEÇA PODE SER USADA PARA MULHERES DE TODAS AS IDADES. AS ATRIZES LIDIA BRONDI, BIANCA CASTANHO E FERNANDA SOUZA. FOTOS: WILLIAM ODA E DANIEL DELMIRO/ AGNEWS

 

UMA PEÇA, MUITAS MULHERES

Como o DaquiDali te disse lá no início, ela é uma das calças que mais se adequam ao corpo feminino. “Apesar de afunilar em direção ao joelho, ela abre em seguida. Sendo assim, CRIA CURVAS para mulheres mais retas, compensa ombros largos com a boca também mais ampla, e para quem tem mais quadril, a boca mais aberta EQUILIBRA O VOLUME da região e até do culote”, exemplifica a consultora.

Alguns diferenciais bem bacanas para saber: “se você tem o QUADRIL MAIS LARGO, a calça pode ser um pouquinho mais solta. Não há muitas particularidades para mulheres MAIS ALTAS, a peça veste muito bem nelas, entretanto, para BAIXINHAS, o ideal é que a boca não seja tão aberta, para ajudar a alongar a silhueta”, diz Ana.

A profissional ainda lembra que “as flares de cintura mais baixa podem ser uma escolha pouco acertada para uma mulher de quadril largo, pois deixa o visual mais pesado. Em contrapartida, A CINTURA INTERMEDIÁRIA, um pouco mais alta, É MAIS DEMOCRÁTICA e ainda desenha melhor o corpo”.

Lisandra Souto por Wiliam Oda, Fátima Bernardes e Ana Furtado por Fabio Moreno

CORES DISCRETAS DISFARÇAM AS CURVAS, JÁ DETALHES E ESTAMPAS AS VALORIZAM. A ATRIZ LISANDRA SOUTO, A JORNALISTA FÁTIMA BERNARDES E A APRESENTADORA ANA FURTADO. FOTOS: WILLIAM ODA E FABIO MORENO/ AGNEWS

 

O MELHOR AMBIENTE

Mesmo com a possibilidade de uso em diversas situações e ocasiões, é o tecido que vai dizer se a calça é adequada a ele ou não. Vaz explica que “você pode até fazer um look de festa com um tecido for especial, ir para o trabalho com uma de alfaiataria, se jogar em um evento casual com um modelo jeans, de linho ou neoprene. COM A ESCOLHA CERTA, DÁ PARA TRANSITAR BEM POR TODOS OS LUGARES. Ele só não cai bem mesmo em ocasiões que não pedem calça comprida, como em um casamento em que você é madrinha, por exemplo”.

Ainda nesse quesito, a consultora destaca que “as modelagem mais soltas pedem tecidos que não armem, como o crepe. Se ela é mais sequinha, a de neoprene ou o jeans ficam incríveis”. Para quem curte uma produção que aumente o quadril, “pode apostar em estampas. Mas se sua intenção é disfarçar as curvas, opte por cores lisas que não sejam tão vivas”, recomenda a especialista.

Em cima, as opções podem ser mais sofisticadas, casuais, com pele a mostra ou muito volume. Isabella Fiorentino por Paduardo e Raphael Castello, Gabriela Duarte por Wallace Barbosa, Mc Sabrina por Leo Franco/Ag News e Alessandra Maestrini por Paduardo e Raphael Castello

TOPS PODEM SER MAIS SOFISTICADOS, CASUAIS, COM PELE À MOSTRA OU MUITO VOLUME. A APRESENTADORA ISABELLA FIORENTINO, A ATRIZ GABRIELA DUARTE, A CANTORA MC SABRINA E A ATRIZ ALESSANDRA MAESTRINI. FOTOS: PADUARDO, RAPHAEL CASTELLO, WALLACE BARBOSA E LEO FRANCO/AG NEWS

 

SAIBA COMBINAR

Com a parte inferior muito bem escolhida, tem que arrasar também na de cima, não é verdade? Sendo assim, “aposte em uma CAMISA, que fica super legal, principalmente para uma ocasião profissional. Se quiser dar um ar mais sofisticado, os MODELOS DE SEDA ou qualquer um em tecido molinho trazem esse toque especial. Outras combinações, comoCROPPED e GOLA ROLÊ, também são assertivas”, sugere a expert.

Como a temporada é invernal, não dá para esquecer das peças que são a cara da estação. De acordo com Vaz, “caem bem jaquetas de couro, tricôs, blusas de moleton e até trench coats, que amarrados, modelam a cintura, mas se quiser usá-los abertos, é melhor não ter problema com volume”.

E NOS PÉS?

O que NÃO FICA LEGAL aqui são os modelos fechados com bicos arredondados, “pois eles deixam o pé menor do que é, parecendo desproporcional”, salienta Ana, que indica: “saltos altos para alongar a silhueta. Sapatos fechados? Que sejam os que têm BICO MAIS FINO, e isso serve para sapatilhas, botas de cano curto e até no estilo caubói. Sandálias abertas e calçados com salto pesado também ficam interessantes por causa da boca”.

DICA FINAL MAIS QUE ESPECIAL

Antes de fazer a barra, DEFINA QUE TIPO DE CALÇADO QUER USAR COM SUA FLARE. “Calçada nele, marque a barra por trás, a um dedo de distância do chão. Isso garante que a barra caia bem e cubra o salto fazendo com que você ganhe perna. Se você já for alta e pretende usar um sapato baixo, marque rente ao chão”, explica a consultora.

Comentários